quinta-feira, junho 24, 2004

Primeira Vez

Caros leitores, esta é a minha primeira intervenção neste magnífico blog. Por isso apelo à vossa paciência.

Sinto-me um pouco como a personagem do livro que vos trago como sugestão que diz: "Tenho quase um dia, agora.(...)sinto-me como uma espécie de experiência. Sinto-me exactamente uma experiência; é impossível alguém sentir-se mais uma experiência do que eu, por isso começo a suspeitar que é isso que eu sou.(...)Será que a minha posição é segura ou terei de estar atenta a protegê-la?(...)Um instinto dita-me que a eterna vigilância é o preço da supremacia.[Boa frase para alguém tão novo, não?]."

Falo-vos de Eva, trazida pela escrita de Mark Twain em "Excertos dos Diários de Adão e Eva", da Cavalo de Ferro.


Um livro deliciosamente hilariante que relata os pensamentos mais íntimos do primeiro Homem (prático e descomplicado) e da primeira Mulher (romântica e curiosa), no contexto específico do Jardim do Éden, onde tudo é novo e uma descoberta.

Mas também se trata da primeira relação homem-mulher com experiências não muito diferentes das actuais no início de cada relação, em sentido lato, que aos poucos se vai tornando numa relação intima e cúmplice.

Compreende-se, não é? Na altura não havia suecas, italianas, dinamarquesas, etc, para os distrair! Era só 1 homem e 1 mulher! Note-se bem a ênfase na unidade. Se bem que havia muitos animais à volta... Hum... Bem, mas já estou a divagar.

Só para vos aguçar a curiosidade aqui ficam algumas passagens:

Adão

"Segunda-feira. Esta nova criatura de cabelo longo é um valente empecilho. Anda sempre à minha volta e segue-me para todo o lado. Não gosto disto; não estou habituado a ter companhia."

"Terça-feira. Não posso nunca dar nome a nada. O novo ser dá nome a tudo o que aparece antes de eu poder esboçar um protesto. E o pretexto é sempre o mesmo: parece ser aquilo."

"Segunda-feira. O novo ser diz que se chama Eva. Tudo bem.(...)diz que não é um ser, mas uma Ela. Dúvido, mas tanto me faz. O que Ela seja não me faria diferença se Ela se metesse na sua vida e não falasse."

Eva

"Domingo. Durante toda a semana segui-o e tentei travar conhecimento. Tive de ser eu a falar porque ele é tímido, mas isso não me chateia. Ele parecia contente por me ter por ali e eu fartei-me de usar o socializante "nós" porque isso parecia deixá-lo orgulhoso por estar incluído em alguma coisa."

Para quem não conhece a vertente humorista do jornalista que queria ser marinheiro num barco a vapor no Mississipi, este é um excelente livro para conhecer Mark Twain nessa perspectiva.

Por isso, libertem-se da associação do autor a Tom Sawyer e Huck Finn e leiam estes diários.

Aviso já que o final é lindo!

Excertos dos Diários de Adão e Eva, Mark Twain, Cavalo de Ferro, Fevereiro de 2004 (1ª edição), 78 pág.

Sem comentários: